sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

CD Nervosinha

Este cliente me ligou e disse que queria ser minha putinha, minha xana piscou de vontade de fazer aquele macho que por telefone parecia tão viril ser uma cadelinha vadia louca para mamar bem gostoso. Quando ele chegou tive uma adoravél surpresa, ele era um gato, um macho másculo e bonitão, bem gostoso, do jeito que eu gosto, lhe dei um beijo e o safado já de pau duro me apertou contra ele dizendo que estava linda, que era muito gostosa e que estava com muito tesão, já havíamos combinado por telefone o tipo de programa, mas quase me deixo levar e uso aquele macho gostoso como meu macho, para meu bel prazer, ele estava com tanto tesão que se fingisse esquecer o que havíamos combinado ele meteria igual, mas tanto como uma boa vara cravada na xana gosto de ter um cuzinho de putinha semi-virgem ao meu dispor, para usa-lo como brinquedinho de menina mimada, ele queria que eu fosse seu macho e ele minha putinha pois teria que arcar com as consequências do pedido, gosto de cumprir a risca o combinado.

 Eu já havia deixado sobre a cama as roupinhas que usaria nele. 
Ele quis tomar um banho antes, tive tempo de deixar tudo prontinho para usar na vadiazinha. 

Saiu do banho, disse que estava nervosa, que nunca tinha feito uma produção completa, estava ligeiramente trêmula, terminou de secar-se, posicionei-me detrás dele e peguei um espartilho preto com detalhes pink, passei por um braço,beijei-lhe a boca, envolvi seu corpo com meus braços e passei o espartilho por trás, beijei seu pescoço e posicionei os lados do ziper próximos, afastei-me de seu corpo quente e juntei as duas pontas pedindo para a putinha subir, suas mãos trêmulas tocaram mas minhas e senti que estava com as mãos gélidas e suadas, que delicia, estava nervosa minha putinha, a pica já estava duríssima e coloquei uma liguete em cada perna, lambia-lhe a virilha e beijava as coxas tesudas, pequei as ligas e coloquei uma a uma, beijava cada pedacinho daquele corpo tesudo e safado, que arrepiava-se ao toque de minha língua úmida, quente e voraz, lambi o cuzinho que piscou gostoso, depois de prender ad quatro ligas virei-o de frente, e abocanhei o cacete bem gostoso, babei gostoso na cabecinha, mamei e meti a rola até o fundo da garganta, tinha que controlar-me, tinha que deixar a boca bem suave para a vagabunda não gozar. Virei a puta de quatro e lubrifiquei bem  o rabinho, meti uma vara pequena suavemente e esperei a vadia acostumar-se, estava com a pica na cintura o que me dava a certeza de poder abusar da vagabunda. 

Peguei na cinturinha da putinha e coloquei até as bolas, ela gemeu e reclamou um pouquinho, fiquei ainda mais tarada e mandei rebolar,a puta obedeceu, que delícia! Que rebolada gostosa, ele gemia e seus gemidos eram como uma música celestial, excitava-me ainda mais, coloquei  vagabunda encaixada entre minhas mãos e mandei brasa no cu sem dó ela gemia e eu metia, ela passou a dizer que estava gostoso, para socar, eu tratava-a como uma puta merece ser tratada, com rola e tapas, sua bundinha branquinha estava uma maravilha, que delícia. Fodi a puta gostoso por um bom tempo e coloquei a vara bem no meu grelo, estava molhadinha e queria gozar, soquei gostoso até gozar, quando empurrei forte no cu da vagabunda gozei gostoso e ouvi a vaca dizer: "Vou gozar, vou gozar..." ao que respondi: "Goza na rola cadela vadia, goza com um pau no cu sua puta..." e a vagabunda esporrou gostoso. Que tesão. Estava nervosinha, mas quando é puta de verdade sabe dar conta do recado.







Vídeo penélope Star - A Diva









CD Putinha

Foto de outra Cd 
 Vocês tem que conhecer essa Putinha, atendo ela já a alguns anos  em um motel aqui na região central, geralmente aos domingos. 
Ela é sensacional, super sexy, meiga, delicada, linda e com um fogo no rabo delicioso. Uma Puta de verdade. A cada  dia ela está mais linda, feminina e vagabunda.
A última vez que estive com ela foi realmente uma surpresa, eu já estava louca para foder a vadia, pois ela havia mandado várias mensagens provocando-me, dizendo o quanto queria sentir o caralhão gigante no cuzinho e que havia sonhado comigo. No sonho eu mamava a rola de um cavalo e metia o pauzão do animal no rabo de minha putinha. Já imaginava que a festa seria muito boa, mas não imaginava que seria tanto.
Quando cheguei ao motel ele abriu a porta enrolado no lençol, falou que hoje sairia literalmente do armário para mim, na cama havia um vestido negro lindíssimo, a minha cara, ele me disse que era um presente para mim, ele me pedira que fosse com um lingerie bem sexy e com meias 7/8, tirei minha roupa ficando somente com a combinação  e as meias e coloquei o vestido. Estava realmente muito sexy, coloquei a peruca com os longos cabelos negros na vadia e passei o batom em seus lábios sedentos de rola. Ela entrou no armário e saiu, ao sair abriu o lençol e dançou super sexy para mim, ela estava um tesão! Usava uma camisolinha sensual com detalhes de oncinha, por baixo um espartilho também de oncinha e calcinha na mesma estampa,  meias 7/8, ligas, tudo perfeito. Estava linda e transpirando tesão. Dançou para mim enquanto eu coloquei uma pica na cintura e encoxava a rola no rabinho dela, abraçando-a por trás, que tesão, ela gemia e dançava. Virei-a de frente e apertava minha rola contra a dela, abaixei a cabeça para alcançar o mamilo e mamei gostoso, estive dançando, beijando os lábios tesudos e mamando os mamilos de minha putinha por bastante tempo, ela gemia gostoso me deixando excitada. Deitamos na cama e lambia a minha vadia bem gostoso, ela gemia e se entregava a mim como uma verdadeira dama, coloquei o caralho na boquinha gulosa de minha putinha e ela chupou bem gostoso, queria poder gozar naquela boquinha e soltar meu leitinho na garganta da putinha, ela falava que eu estava enlouquecendo-a, que não aguentaria muito e que estava perdendo a cabeça, me confessou que quando saímos a primeira vez que jurara a si mesma que seria somente uma vez, para experimentar e que não voltaria a me ver, mas que estava viciada em minhas varas e que desejava ardentemente aqueles encontros, fiquei ainda mais excitada e beijei-a com ternura, ela é só minha, só eu conheço a fêmea que habita dentro dele. Minha Putinha Adriana Mirelli, a putinha que eu criei e que uso como quero. Estivemos nos beijando, nos lambendo, por um bom tempo, ela mamava meu caralho enquanto eu lambia o cuzinho da piranha, provocando-a. Quando notei que ela já estava louca de tesão comecei a forçar a rola na  entrada do cuzinho, que, aos poucos, desapareceu no rabinho, ela rebolava gostoso e gemia no pau. Soquei com vontade rasgando o cuzinho de minha putinha. Após um tempo ela tirou a camisolinha e ficou só com o espartilho, mamei seus seios e passava a mão no "grelinho" duríssimo da puta. Passei bastante óleo na bundinha de minha puta, passava também nas bolas, ela gemia e pedia mais, com um caralho agora maior tive mais dificuldade em foder o cuzinho da gostosa, mas com paciência o caralho desapareceu no cu dela, um caralhão gigante abocanhado pela putinha. Um cu realmente guloso. Depois de foder muito o rabo dela, ela trocou de roupa e colocou um robe lindo, transparente, sexy e me pediu que tirasse uma foto dela com o caralho preto atolado em seu rabo, tirei duas em que ela esta linda, depois postarei as fotos para que vocês comprovem. Depois de muita putaria, mamei um pouco o caralho de minha putinha e ela batendo punheta com a rola no cu gozou gostoso.
Foto de outra cd
Terminamos nossa brincadeira com sabor de quero mais...
_________________________________________________________________________________

Feminização suave



Adoro feminizar meus machos, sinto-me poderosa, é como se dominasse totalmente esses vadios e pudesse fazer o que bem entender. Gosto mais ainda quando noto que o macho não está totalmente convencido de querer ou não libertar-se tanto. Esse é um desses casos.
Ele sempre vem no horário do almoço e após um banho começa a brincadeira. 
Ele me pediu para colocar uma música, coloquei um Jazz clássico, mas trocamos para Jazz contemporâneo, ao som do Jazz comecei a montar minha putinha, primeiro as ligas negras, umas lambidinhas nas bolas e na rola, depois as meias vermelhas bem vadias, uma e outra presas nas ligas, deixando-a com um charme especial, logo a calcinha, uma calcinha fio-dental especial com um vão na frente por onde saia a pica majestosa, logo um tapa na bunda e os sapatos de salto alto nº 43, lindos. Peguei um vestido vermelho, ele disse que não queria, mas quem manda sou eu e eu queria, coloquei o vestido e minha putinha estava prontinha para o abate. Linda! Perfeita! 
Posicionei-me atrás dela e passamos a dançar ao compasso da música enquanto apertava meu corpo ao dela, lambi suas costas e de frente a ela beijei sua boca, lambi o pescoço, mamei os mamilos, apertava nossos corpos, fui até o banheiro e peguei uma rola, um vibrador  e uma cinta, vesti a cinta e encaixei a rola na cintura, voltei para a cama e lambi sua pica e bolas, apertei  rola contra rola enquanto beijava-lhe a boca, desci a língua pelo pescoço até chegar no mamilo mamei gostoso mordiscando levemente, desci até o pau e mamei um pouquinho, virei a vadia de costas e lambi o cuzinho fazendo-a suspirar, lambi gostoso e depois coloquei o vibrador para vibrar na entradinha ela disse que não, falei que colocaria só a cabecinha, pressionei e entrou um pouquinho, deixei vibrar bem gostoso na entrada do cuzinho por algum tempo enquanto mordia sua bunda, lambia as pernas e lhe dava umas palmadas, tirei o vibrador e coloquei a pontinha da rola na entrada do cuzinho, conforme abaixava-me para lamber suas costas a cabecinha deslizava e saia da entradinha, só a cabecinha, minha putinha estava muito apertadinha e não queria machuca-la, pouco tempo depois virei-a de frente a mim e pressionei as duas rolas um pouco, ela tentou tirar minha cinta e calcinha, ajudei e me libertei dos dois, por cima dele esfreguei meu grelinho na rola ficando molhadinha, gemia gostoso sentindo aquele pau duríssimo no grelo enquanto ele mamava meus seios, preparei a rola com a boca e sentei no caralho, cavalguei gostoso até gozar, o que não demorou muito, continuei cavalgando, agora mais suavemente, beijava sua boca enquanto subia e descia na rola, comecei a forçar mais o rebolado e senti a pica inchando e pulsando anunciando um orgasmo delicioso. Que tesão! Foi maravilhoso ver aquele macho tão grande e tão entregue aos meus caprichos, tirei toda sua roupa e ele foi tomar um banho pois teria que voltar ao trabalho.


O corno da Cris

















Em breve todos os vídeos e relato completo de como o Corno da Cris se tornou minha Puta.


Crossdresser Vadia - Penélope Star II





Adoro montar bonequinhas, adoro deixar um macho bem feminino, sexy, quase uma diva, sinto uma satisfação pessoal em contemplar minhas putinhas prontinhas para o abate. Quando a putinha já é conhecida é mais facil, pois já sei o que ela quer, como trata-la e que roupa colocarei na vadia para valorizar seu corpo.
Essa putinha já conheço e já falei dela com vocês, adoro usa-la como minha putinha, ela tem um corpo lindo e qualquer coisa fica bem, por isso resolvi inovar e colocar uma peruca rosa longa, um espartilho branco, meias e calcinha fio-dental, luvas de renda branca e ela ficou maravilhosa, linda e sensual, uma sensualidade natural com um ar de inocência delicioso, que tesão, beijei aquela vadia e tirei algumas fotos, acompanhei-a até o espelho e mostrei como estava bela minha putinha, mandei que sentasse no sofá e fizesse uma pose bem sexy, tirei algumas fotos bem gostosas e fui até o quarto, coloquei o consolão na cintura e obriguei a vadia a mamar, fodi os lindos lábios da putinha e depois coloquei-a de quatro e lambi gostoso seu cuzinho, meti a língua até o fundo e depois abri bem o cuzinho e fiz uma foto com a língua no rabo da cadela, mandei a vagabunda abrir a bunda e fiz algumas fotos, lambi o cu, enchi de saliva e meti a rola já bem lubrificada, o cu engoliu a cabeça da rola gotoso, empurrei pouco  a pouco a rola no cu até sumir completamente dentro do rabo da vadia, bombei lentamente e depois com mais vigor. Enquanto fodia a puta batia em sua bunda e chamava de vadia, puta, cadela, vagabunda, ela gemia e rebolava na vara, o caralhão da vadia estava duríssimo, dava vontade de enfiar no meu cu, mas gostava tanto de ver a puta levar no rabo que não podia para, passei a socar com vigor no cu da puta e ela passou a masturbar-se como louca, que tesão ver aquela mão com luvas de renda pegando no caralho e punhetando até ver a porra jorrar como um vulcão, quando tirei a rola do rabinho ficou um buraco abertinho, o cuzinho bem frouxo como eu gosto.